quarta-feira, 5 de junho de 2013

QUAL A RAZÃO DO SEU NASCIMENTO | O APÓS A VIDA


Olhem que coisa interessante.


Mitologia romana 

Para os romanos, o Tártaro é o lugar para onde são enviados os pecadores. Virgílio o descreve na Eneida (livro VI). como um lugar gigantesco, rodeado pelo rio de fogo Flegetonte, cercado por tripla muralha que impede a fuga dos pecadores.

Nesta versão, é guardado por uma Hidra com 50 enormes faces negras, que se postava diante dum portão rangente, e protegida por colunas feitas de adamante (material supostamente indestrutível, similar ao diamante), tão duras que nada poderia cortá-las. No seu interior havia um castelo com amplas muralhas e um alto torreão de ferro. Tisífone, a Fúria que representava a Vingança, é a vigia que jamais dorme no alto deste torreão, chicoteando os condenados a ali passar a eternidade.

No interior deste castelo há um poço que desce até as profundezas da terra, no dobro da distância que há entre a terra dos mortais e o Olimpo. No fundo deste poço estão os Titãs, os Aloídas (gigantes gêmeos) e muitos outros criminosos.

No próprio Tártaro estão milhares de outros criminosos, recebendo castigos semelhantes aos dos mitos gregos.

A Segunda Carta de São Pedro faz referência a esta tradição latina, chamando Tártaro (ταρταρώσας) ao castigo dos anjos caídos (II Pedro, 2:4):
"Em realidade, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, precipitados no tártaro, ele os entregou às cadeias das trevas para serem atormentados e reservados até ao juízo…"




O Dicionário Grego do Novo Testamento de Strong diz que "Tártaro" é "o abismo mais profundo do Hades" (exemplo - Apocalipse 20:3) e que a palavra significa "encarcerar (aprisionar) em tormento eterno".
A. T. Robertson define: "A habitação tenebrosa e sombria dos mortos ímpios, como o Gehena dos Yehudim".
O Dicionário de Fausset define: "O profundo ou abismo ou poço do abismo".

"O nascimento marca o momento em que a alma entra no corpo" – disse o Rebe. "E como a alma está conectada diretamente a D'us, este é motivo suficiente para se alegrar."

Por que você nasceu?

O seu nascimento significa que você é filho de D'us. O seu nascimento não foi apenas um acidente; D'us escolhe cada um de nós para desempenhar uma missão específica neste mundo, assim como o compositor organiza harmoniosamente cada nota musical. Tire uma nota que seja, e a composição se desintegra. Cada pessoa tem seu valor; cada pessoa é insubstituível. Sua vida está sempre o levando na direção de seu destino, e todo momento é significativo e precioso. 

Muitas pessoas parecem sentir que, apenas porque não escolhemos vir ao mundo, nosso nascimento é um golpe de coincidência ou do acaso. Isso não poderia estar mais longe da verdade. O nascimento é a maneira de D'us dizer que Ele investiu Sua vontade e energia para criar você; D'us sente grande alegria quando você nasce, o maior prazer imaginável, pois o instante do nascimento engloba o potencial de todas as futuras realizações. 

Quando, exatamente, começa a vida?

No nascimento, a alma entra no corpo, criando uma vida que se sustenta, um ser humano autônomo. Um feto, obviamente, é um organismo vivo completo com cérebro em funcionamento, coração e membros. Mas é somente uma extensão, embora viva, da mãe. Contém a vida, mas ainda não é independente, sustentado por sua própria força. 

Read more: 
Coisas Judaicas דברים יהודיים: YehudimCOISAS JUDAICAS 
Follow us: @coisasjudaicas on Twitter | judaicas on Facebook

As principais crenças judaicas são:

"Deus: Deus é o Criador. Eterno, onisciente, onipotente, infinito e incorpóreo. Deus não tem gênero no sentido humano do termo, o pronome masculino é-Lhe atribuído apenas por convenção. Deus é único. Deus é um e não composto por diferentes personalidades.

Instrução: O Criador concedeu ao Homem instruções de comportamento destinadas a promover a vida e a evolução espiritual. As instruções são baseadas em constantes universais criadas por Deus, e como tal imutáveis [em outras palavras, para os judeus não existe "novo testamento" e nem alcorão]. As instruções encontram-se contidas na Bíblia Hebraica (Tanakh, conhecida entre os cristãos como “Antigo Testamento”).

Futuro: Seguindo as instruções, o Homem, ao longo dos séculos, produzirá mudanças positivas no Mundo, restaurando a sua essência primordial. Esta mudança (restauração) é um esforço coletivo dos povos ao longo de muitas gerações.

Julgamento: Cada pessoa é julgada com base apenas nos seus atos, independentemente de outros fatores, tais como crença, etnia ou orientação sexual. Os atos de outras pessoas – quer sejam familiares, antepassados ou homens santos – são irrelevantes. O Homem possui total e inquestionável livre arbítrio bem como controle sobre todas as suas ações.

Expiação: A correção dos erros individuais cotidianos é feita através da oração (meditação), observância anual do Dia do Perdão (Yom Kippur); e arrependimento, corrigindo os erros sempre que possível, resolvendo não os repetir e cumprindo as Instruções – incluindo a ajuda aos mais necessitados, tida como a maior de todas elas.

Recompensa: Deus não promete recompensas individuais (ver Futuro), mas sim coletivas.

O Bem e o Mal: Deus é o Criador de todas as coisas. O judaísmo não tem o conceito de Diabo. Enquanto em hebraico existe a palavra satan, e ela de fato é mencionada várias vezes na Bíblia Hebraica, o seu significado é completamente diferente do atribuído pelos cristãos – em hebraico satan quer dizer oponente, referido por regra no contexto da luta interior individual entre dois opostos. O “Mal” é produto exclusivo das ações, individuais e coletivas, do Homem, assumindo-se como o resultado de um processo cósmico de “causa e efeito” equiparável às teorias da física newtoniana.

Depois da Morte: No judaísmo não existem os conceitos de Céu, Inferno ou Salvação. [É interessante observar que os 13 Princípios da Fé Judaica cita somente a Ressurreição dos mortos, ou seja, que Deus trará os mortos de volta à vida]. As preocupações devem ser centradas unicamente nesta vida. Uma vez que o objetivo da evolução espiritual individual só pode ser alcançado com a imersão na sociedade e a interação com o semelhante, também não existe no judaísmo o conceito de isolamento monástico. Na prática, o objetivo é viver a vida da melhor e mais justa forma possível.

Messias: A palavra hebraica mashiach (משיח - messias) não tem a mesma conotação que lhe é atribuida pelo cristianismo. No judaismo não existem homens-deus, semideuses ou filhos literais de Deus. Uma pessoa não pode tomar ou absolver os pecados de outra (ver Julgamento). [É um dos Princípios da Fé Judaica a crença na vinda do mashiach, rei judeu que reunirá todo o povo judeu na Terra de Israel.] Um dos sinais contidos na Bíblia Hebraica [da] chegada da era messiânica é a paz universal.

Povo Eleito: A Bíblia Hebraica (Antigo Testamento) refere-se poucas vezes aos judeus como “o povo eleito”, mas a expressão tem sido distorcida ao ponto de se fazer crer que os judeus se julgam intrinsecamentesuperiores aos não-judeus. Esta leitura é completamente falsa. Os judeus são “escolhidos” apenas enquanto portadores da Mensagem (Instrução), e seus guardiões através dos séculos. Não existe qualquer sentimento de superioridade ou inferioridade implicita (ver também Julgamento).

Sacrifício e Expiação: O sacrifício não é necessário para a expiação. O propósito do sacrifício é expressar o sentimento de afinidade pessoal para com o Criador. Na ausência do sacrifício, o mesmo sentimento pode ser expresso através da oração (meditação) e correção dos erros cometidos.

Dez Mandamentos: Os conhecidos “Dez Mandamentos” são apenas uma parte da Instrução, ainda que importante. A palavra hebraica usada significa literalmente “declaração” (“dez declarações”). No judaísmo, em vez de apenas dez, existem 613 mandamentos (mitzvot)."

Read more: 
Coisas Judaicas דברים יהודיים: As principais crenças judaicas
COISAS JUDAICAS 
Follow us: @coisasjudaicas on Twitter | judaicas on Facebook







Acho que melhorei a sua postagem. Você procura somente destruir eu procuro ser pedagógico.

 2  


Expressões como Theos e Kyrie tambem foram utilizados para melhor entendimento dos gentios. O grego era a lingua mais conhecida nos povos do oriente, helenizados.



Ser judeu e mestre é ser pedagógico e não meramente apologeta provocador. Amadureça.



Diversas palavras em grego derivam de seus deuses e mitologias. Achar que cada palavra dessas significa uma prescrição, uma evidência, ao culto pagão é tratar com levianismo.



O problema é que você estudou ciência. Está na hora de estudar Humanidades. Senão será sempre "mestre" meramente provocador. Falta-lhe a ética e a empatia. Humanize-se.


Eu procuro provar tudo o que digo, nada falo por falar.



Enriqueça e cresça intelectualmente. A apologética torna árido qualquer um.



E abunde em empatia inclusiva. E deixe-se da Wikipedia. Pode estar inexacta.



Outra questão. A autoria da carta não é de Kepha (Kepha e fatné têm sentido correlato). Apesar das declarações da própria carta, aparecem algumas objeções à autoria de Kepha. Entre as mais comuns está a falta de testemunho mais antigo, a demora da Igreja em reconhecer o livro como inspirado, as diferenças de estilo em relação a 1Pedro e o uso aparente de linguagem helenista religiosa e filosófica. Realmente existem grandes diferenças de estilo entre 1Pedro e 2Pedro. Muitas das palavras e expressões favoritas de 1Pedro, por exemplo, estão ausentes em 2Pedro.



Esta carta, está debaixo de uma reserva teológica. Para muitos teólogos é pseudo-epigráfica.

Labels

Blog archive

Blogroll

Search

Popular posts

Protestante por consciência calvinista e zuingliana, um teísta remanescente (cristão integrado na Oholyáo de YÁOHU UL/Ele-Ela) antinominiano esteta ecuménico e inclusivo

Blogger templates

Blognovela - Simplismente Layla

Capítulo 1: De volta ao passado oco Capítulo 2: Varão em perigo Capítulo 3: Desodorante Roll-on Capítulo 4: Travesti de Satanás Capítulo 5: Tragédia em Cristo Capítulo 6: Evangelizando na Cadeia Capítulo 7: Direto para o Inferno Capítulo 8: Inimigo Misterioso Capítulo 9: Ataque Satânico
Capítulo 10: A Noite da Concepção (revelação da paternidade de Layla Camila) Capítulo 11: O tempo não pode apagar
Capítulo 12 - Final: The End (o fim em inglês)


Fluir.tv
edsom on livestream.com. 


A minha Lista dos meus blogues

Número total de visualizações de página

Blogger templates

Inspiration Report
If your brothers in Christ were to describe you in one word, what would it be?
In many old letters, I noticed several friends wrote down that when they think of me, they get the word: “happy”. Warmed my soul.
It reminded me of a statement that an old roommate made about me last year: “I can’t ever imagine you depressed.” It floored me, because I wasn’t always like this. I spent a lot of my youth just generally bummed out about life. And then in my 20s, I was always lamenting whatever I didn’t have.
However, something about my 30s has filled me optimism. I wish I could tell you what it is, but I simply determined to enjoy my life. I want to be happy. I seek out happy things, and miraculously happiness seems to find me.
Pastor and author Joel Osteen is famous for speaking up for happiness and the importance to practice it every day. You can’t wait for circumstances to get better. You have to create your own good fortune. So look for ways to be happy every day.
“Seek and ye shall find.” Read the follow-up blog: What Makes You Happy?
More Wisdom from The Osteens:Joel Osteen on the Creative Power of Words Become a Better You Victoria Osteen Says ‘Love Your Life’
Read more:

This Week on Hour of Power - Easter 2011 from Crystal Cathedral Ministries on Vimeo.

Hour of Power Ep. 2151 - Full Hour from Crystal Cathedral Ministries on Vimeo.