quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Escola pedagógica de links que apoiam a leitura inteligente da espiritualidade diversa inclusiva e ao mesmo tempo, em alguns momentos, polémica »» Guião Catequético com subsídios prementes - 1



Élder Magalhães Luís (Ramo: Calvinismo Holandês - calvinista inclusivo)

http://www.rtve.es/noticias/20131220/si-realmente-iglesia-requiere-reformas-bergoglio-capaz-llevarlas-cabo/829721.shtml


      
Marcelo López y Feliciana Merino, profesores en el Instituto Edith Stein, dependiente del Arzobispado católico de Granada, han estudiado la personalidad del papa en su libro "Francisco, el papa Manso".

“La mansedumbre es un rasgo muy característico suyo”, comenta Feliciana Merino. “Cuando habla de la vida sacerdotal habla mucho de la mansedumbre, pero no como si fuera pusilanimidad, o una especie de debilidad, sino al contrario: coraje. Y él es un hombre con mucho coraje”, añade.

La polémica de la dictadura argentina
La elección de Jorge Mario Bergoglio cogió a muchos por sorpresa. Pocos conocían el perfil del nuevo papa, un jesuita argentino al que algunos acusaron de haber sido condescendiente con la Junta militar durante los peores años de la dictadura.

El caso de Jálics y Yorio, dos jesuitas que fueron torturados en 1976 en la ESMA (Escuela Superior de Mecánica de la Armada), el centro clandestino de detenciones y torturas de la dictadura, ha planeado sobre la figura de Bergoglio. En 2010 testificó durante cinco horas en el juicio sobre los crímenes de lesa humanidad cometidos en la ESMA. La sentencia exculpó totalmente al entonces provincial de la Compañía de Jesús, pero algunos autores, como el periodista Horacio Verbitsky, han sugerido que Bergoglio llegó a colaborar con la dictadura en este y otros casos.

Unas acusaciones que, para Marcelo López, no tienen fundamento. “Mas bien es justo lo contrario”, asegura. “Ocultó, a veces incluso con documentación falsa y sacó del país a mucha gente, asumiendo riesgos impresionantes, como en el caso de un joven al que dio su propia documentación”.

Según Marcelo López y Feliciana Merino, no fue la única vez que intervino Bergoglio. Su papel y su apoyo a la organización La Alameda fue fundamental en la lucha contra la trata de blancas y las mafias de prostitución en Buenos Aires, una trama en la que estaban involucrados políticos y jueces de la ciudad.

“Él se implicó de manera radical. Bergoglio ya no era un joven de 40 años desconocido, como en la época de la dictadura, sino que era Cardenal primado”, asegura Marcelo López.

“Utilizó un sistema muy parecido al que utilizó en la dictadura para esconder a estas mujeres. Recibió en cuatro años a más de 100 madres cuyas hijas habían sido secuestradas, participó en la denuncia de miembros del tribunal supremo, de miembros del Gobierno de Buenos aires que tuvieron que dimitir”.

La Teología de la Liberación
La imagen de Juan Pablo II regañando a Leonardo Boff, el máximo estandarte de la Teología de la Liberación, fue una gráfica representación de la postura de la Iglesia respecto a la controvertida corriente teológica. Surgida en América Latina en los años 70, la corriente incluía ciertas visiones marxistas de rebelión de los ‘oprimidos contra los opresores’.

Durante los pontificados de Juan Pablo II y Benedicto XVI, la teología de la liberación recibió fuertes críticas y condenas desde el Vaticano. Bergoglio convivió con esa corriente y para Marcelo López, sin llegar a respaldarla, tiene una posición menos crítica.

“Bergoglio siempre rechazó la violencia, pero también dijo que no hay que rechazar la teoría de la liberación en bloque”, asegura Marcelo. “Hay un núcleo de verdad en ella, y en este caso es una preferencia por los pobres, una cuestión evangélica central que para él es fundamental”, añade.

Las líneas de su pontificado
El temperamento cercano y popular del papa Francisco ha hecho que algunos le comparen con Juan XXIII. Algunos de sus gestos, como sus recientes palabras sobre la homosexualidad, han hecho que surjan incógnitas sobre si será un papa más reformista de lo inicialmente esperado.

De hecho, la revista Advocate, la publicación homosexual más influyente, le ha nombrado también hombre del año y considera que sus palabras implican un cambio en la “retórica respecto a los dos papas que le anteceden”. [http://www.advocate.com/year-review/2013/12/16/advocates-person-year-pope-francis]

“Realmente él tiene una línea que es clarísima, que es la opción preferencial por los pobres, que en este sentido es una línea de marcado carácter progresista, pero porque tiene una mirada en referencia a las realidades de la Iglesia que las hace nuevas”, asegura Feliciana. “Sin embargo, en él encontramos unas líneas de pontificado que son las que siguieron sus predecesores Juan Pablo II y Benedicto XVI”.

De un papa tan activo, muchos esperan grandes reformas. Bergoglio, aseguran Marcelo López y Feliciana Merino, tiene carácter para hacerlas. “Si realmente la Iglesia requiere reformas y puede necesitarlas, Bergoglio es alguien capaz, por su coraje, de llevarlas a cabo”, aseguran, pero también recuerdan que “las reformas no dependen solo de lo que diga un papa”.















A Fé dos Homens de 08 Nov 2013 - RTP Play - RTP

As diversas confissões religiosas existentes em Portugal!Emissão ONLINE


rtp.pt

Magalhães Luís
Lição 1 - O Sentido da Vida...

Depois que um homem e uma mulher tiverem relações, os dois deverão tomar um banho e ficarão impuros até o pôr-do-sol. Levítico 15:18 pq imundo? se foi dado a ordem, crescei e multiplicai e para isso ha necessidade da relaçao, ainda nao havia inseminação artificial ...

A Bíblia de Jerusalém escreve numa nota que não temos mais necessidade de sexo... visto que já não estamos sós como estava Adam...
A empatia com a alteridade (os outros, sem grupinhos, interagindo com toda a congregação, mesmo os menos populares, os mais "feios", os fisicamente desafiados...) com a adopção torna-se um imperativo categórico.
O mundo dos teístas fundamentalistas está cheio de tabús... A Igreja Evangélica de Guiné-Bissau apoia a mutilação genital por acreditar que o procedimento evita que as mulheres se tornem impuras (relação sexual antes do casamento) ou prostitutas. A informação é da jornalista Vania Negrão, de Angola.
O missionário Freddy Osvando criticou a Igreja Evangélica por não seguir a “verdadeira teologia bíblica”. Ele disse à Junta de Missões Mundiais que a Igreja também tem dado respaldo ao ritual da “Cerimônia de Lavagem” imposto às mulheres consideradas impuras. Disse que, para ser purificada, a mulher é levada para um rio onde é violentada várias vezes diante dos seguidores da religião. Fatumata Djau Balde, da Organização Nacional para a Infância, disse que desde meados de 2011 a mutilação genital é crime no país, mas a nova lei tem sido desrespeitada por parte da população e pelos pastores da Igreja Evangélica. Há mulheres que morrem em consequência de amputação mal feito do clitóris.
O mito da ninfomania > A repressão sexual, ao longo da História, alimentou uma fantasia resistente e de aparência confiável, se é possível dizer isso de um mito: a ninfomania. Ele nasceu de um outro mito, também solidificado longamente, de que mulheres não tinham prazer sexual. Tais “verdades” faziam supor que, se as mulheres não tinham desejo, qualquer uma que tivesse algum era doente: uma ninfomaníaca.
Se uma mulher der à luz um menino ela ficará impura por sete dias. Mas se nascer uma menina, então ficará impura por duas semanas. - Levítico 12:2-8 Quando um homem e uma mulher se unirem com emissão de sêmen, se banharão e ficarão impuros até a tarde. Se uma mulher menstruar, ficará impura até sete dias após o término do fluxo, sendo que tudo o que ela tocar ficará impuro até a tarde. Se alguém tentar tocá-la ou tocar em um móvel deixado impuro por ela, ficará impuro até a tarde. Quem se juntar a ela durante este período ficará impuro por sete dias. - Levítico 15:18-33
A resposta à sua questão aqui:
Internauta RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ escreveu: "De acordo com a Teoria Documentária, a Lei de Moisés (a Torah, o Pentateuco) teria sido resultado da reunião de diversas tradições anteriores do povo israelita. Logo, as ambiguidades são inevitáveis na Torah. Por sua vez, não podemos afirmar que haja uma contradição entre declarar que a reprodução seja boa e o fato da mãe ter que se purificar após o parto, por exemplo. E uma das explicações seria porque tudo aquilo que se refere à fecundidade e à reprodução teria um carácter misterioso e sagrado. Assim, o parto, bem como a menstruação ou a ejaculação seminal masculina seriam considerados uma perda de vitalidade pelo indivíduo que, através de ritos, precisaria restabelecer a sua integridade e, desta maneira, a sua união com D'us, a fonte da vida. A impureza da mulher em que ela deve afastar-se do marido durante sete dias durante a menstruação chama-se Nidah, significando "separação" e nela fica proibida toda a intimidade com o esposo. As leis do Nidah baseiam-se não só em Levítico 15.19-24 como também existe um tratado no Talmude a respeito. E, se pensarmos bem, é maravilhoso descobrir que os antigos hebreus praticavam o mais alto padrão de higiene sexual reconhecido nos tempos actuais. Pois sabe-se que existe uma substância tóxica no soro do sangue, na saliva, na transpiração, na urina e em todas as outras exudações da mulher durante o período menstrual. A função dos órgãos genitais, que constituem frequentemente a causa de tanta devassidão e imoralidade, deve ser tratada com muita precaução e pureza, coisas que não foram recomendadas pela Lei de Moisés nas outras funções fisiológicas do nosso organismo. E assim, para que a pessoa passe do estado impuro para o puro, a Torah exige não somente imersão na água (Tevilah) como também que se aguarde um tempo necessário à purificação, valendo ressaltar que a água deve ser limpa e proveniente de uma fonte ou água corrente que se chama em hebraico Máyim Chayim (águas vivas). Enfim, quer vejamos lógica ou não nestas leis, deve-se considerar que a observância da taharat mishpachá (pureza familiar) tem sido um dos importantes pilares da formação do povo judeu até hoje, proporcionando-lhes adquirir uma concepção própria e singular da vida, evitando uma assimilação cultural pelos outros povos. E, diga-se de passagem, os muçulmanos seguem também leis de pureza bem parecidas."

Magalhães Luís
Lição 2 - D'us usa de moderação com os Egípcios. "22. Diante de vós o mundo inteiro é como um nada, que faz pender a balança, ou como uma gota de orvalho, que desce de madrugada sobre a terra.

23. Tendes compaixão de todos, porque vós podeis tudo; e para que se arrependam, fechais os olhos aos pecados dos homens."

Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/sabedoria/11/#ixzz2lRSHPFUj
EditadoNão gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Lição 2 - Lucas 19 »» Zaqueu---
GostoMais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Lição 3 - http://www.rtp.pt/play/p50/e132682/a-fe-dos-homens/321721 » Eclesiástico (Ben-Sirá), "O HaShem é capaz de habitar, ouvir os «pobres»"
EditadoNão gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Lição 3 - 2 Carta a Timóteo 4...
Não gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Lição 3 - Lucas 18, O Ser Salvo em Cristo, O Publicano e o Fariseu - D'us conhece a oração de cada um.
Não gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Extra: http://www.rtp.pt/play/p50/e131955/a-fe-dos-homens » Rick Warren @RickWarren »»
Some worship a G-d who causes suffering. I worship the G-d who bears my suffering. The One in Isaiah 53:3-4
EditadoNão gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
RUSSELL SHEDD - http://pt.wikipedia.org/wiki/Russell_Shedd »» Russell Philip Shedd (Aiquile, Bolívia - 10 de novembro de 1929) é um conceituado teólogo evangélico e missionário da Missão Batista Conservadora no Sul do Brasil. Erudito fundamentalista cristão, fala da Tanach e da B'rit Chadasha:
1 - http://www.rtp.pt/play/p50/e130766/a-fe-dos-homens
2- http://www.rtp.pt/play/p50/e131201/a-fe-dos-homens
Papa Francisco:
http://www.rtp.pt/play/p50/e130766/a-fe-dos-homens/318178
EditadoNão gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Lição 4 E LIÇÃO 5:
1 - http://www.rtp.pt/play/p50/e129854/a-fe-dos-homens/316532 [Yisrael - OS REINOS DO NORTE E DO SUL]
2 - http://www.rtp.pt/play/p50/e130471/a-fe-dos-homens/317704 [EXÍLIO DE YISRAEL | A FÈ]
EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
COPIC - IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE PORTUGAL - TEMÁTICA: A PREOCUPAÇÃO COM OS IDOSOS.
http://www.rtp.pt/play/p50/e130986/a-fe-dos-homens
Não gosto1Mais23 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
AEP - SARA NARCISO
Não gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
Documentação extra:

Élder Magalhães Luís em diálogo com um judeu ortodoxo:

Leia mas é informações históricas seguras e independentes: http://ebiblioteca.org/?%2Fver%2F63594
http://www.scribd.com/mobile/doc/41438685

E não me venha de hebraico original. Como se eu não soubesse antes de você, "menino de seminário", essas diferenças. Eu sou um universitário da área da teologia, da exegese. Mas sobre essa temática veja: http://www.triplov.com/ista/cadernos/cadernos17/Frei-Francolino/estudo-tradicional-cristianismo.htm
http://www.triplov.com/ista/cadernos/cadernos17/Frei-Francolino/index.htm
http://www.triplov.com/ista/cadernos/cad_10/potencial_utopico.htm (Potêncial utópico do cristianismo primitivo)
http://www.triplov.com/ista/escritura/francolino/antigo_testamento.html

Neste último link tem uma abordagem científica sobre o Tanack e Yeshua.

Se não souber aproveitar esta informação com a maturidade de um docente, a culpa é toda sua. E digo-lhe desde já que se tiver uma atitude "infantil" na abordagem a estes links, será a última vez que lhe indico algo. Eu como religioso, sempre me rodeei de amigos estudiosos, professores de elite, sem tempo para vícios, hábitos doentios e imaturos, não andei à procura de pecadores, doentes, andei em busca do conhecimento de elite. Se estivesse como meu colega de seminário (apesar de que nunca fui seminarista, fui religioso universitário) estaria a aprender, a investigar...

Adendo: http://pastoralreformadadadiversidade.blogspot.pt/2013/04/leitura-tirada-do-2-capitulo-do-livro.html
Neste adendo temos uma análise de alguns temas do Tanack: http://catalogo.bnportugal.pt/ipac20/ipac.jsp?session=1F66209K6953P.275452&profile=bn&source=%7E%21bnp&view=subscriptionsummary&uri=full%3D3100024%7E%21592603%7E%212&ri=1&aspect=basic_search&menu=search&ipp=20&spp=20&staffonly&term=Vaz%2C+Armindo+dos+Santos%2C+1944-&index=AUTHOR&uindex

Mas sobre a homossexualidade (judeu ortodoxo obcecado com esta temática, sendo um tabú para ele)... Eis um link meu: http://pastoralreformadadadiversidade.blogspot.pt/search/label/Tese%20sobre%20Homossexualismo
E: http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/homossexualidade-pode-ser-influenciada-pela-epigenetica

E: www.google.pt/search?q=epigenética&oq=epigen&client=tablet-unknown&sourceid=chrome-mobile&espv=1&ie=UTF-8#espv=1&q=epigenética+e+a+homossexualidade
Se vocé mantém essa atitude muito pouco científica e indigna de um professor de filosofia, assumindo uma verborreia vulgar, é melhor abandonar a carreira de docente e ingressar numa Comunidade Judaica haredi fundamentalista e extremista...
EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
É um aspecto extremamente importante da missão evangelizadora, um tipo de ajuda que se pode propor a qualquer pessoa, prescindindo da sua confissão ou da sua fé. Não consiste em dizer em primeiro lugar: deixa as tuas convicções e acede às minhas, que são melhores; consiste em oferecer uma ajuda a partir da experiência de Yeshua, com a qual cada homem e mulher deve confrontar-se se quer chegar à liberdade dos filhos. - Carlo Maria Martini
EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
\○/ \ ○ / \ ○ / »» LÚDICO:
http://www.rtve.es/alacarta/audios/vava/
EditadoNão gosto1Mais19 de Dezembro de 2013

Magalhães Luís
Lições
13a - Zénite destas lições »» http://www.revistatheologando.com.br/2011/10/so-o-amor-e-digno-de-fe-h-u-v-balthasar.html [JESUS | YESHUA]
13 - http://www.rtp.pt/play/p50/e124106/a-fe-dos-homens [Três Figuras Misteriosas Passam Por o Santo Patriarca Abraham - o significado]
14 - https://plus.google.com/photos/108529391276985893956/albums/5269589123378474145?banner=pwa [São Paulo]
15 - http://www.revistatheologando.com.br/search?q=pedro [São Pedro]
16 -http://www.pkn.nl/overons/protestant-church/Paginas/Statements.aspx
17 - http://www.pkn.nl/overons/protestant-church/Paginas/default.aspx
18 - http://www.rtp.pt/play/p50/e135611/a-fe-dos-homens [Parte 1]
19 - http://www.rtp.pt/play/p50/e135611/a-fe-dos-homens/327040 [Parte II, 22 DE NOVEMBRO DE 2013 AD]
20 - http://www.rtp.pt/play/p50/e122721/a-fe-dos-homens [5 DE JULHO DE 2013 AD]
21 - http://www.rtp.pt/play/p50/e123485/a-fe-dos-homens
22 - http://www.rtp.pt/play/p50/e124106/a-fe-dos-homens
23 - http://www.rtp.pt/play/p50/e122059/a-fe-dos-homens [28 DE JUNHO 2013 AD]
24 - a) http://www.rtp.pt/play/p50/e120549/a-fe-dos-homens | b) http://www.rtp.pt/play/p50/e121314/a-fe-dos-homens
25 » FIM - Zénite:
"Só o amor é digno de fé" (H. U. v. Balthasar)
Mt 22, 34 Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então eles se reuniram em grupo, 35 e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo: 36 “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?” 37 Jesus respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento!” 38 Esse é o maior e o primeiro mandamento. 39 O segundo é semelhante a esse: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. 40 Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos.

Eis à nossa vista um belo e instigante relato. Trata-se de uma narrativa bem construída. A trama é clara. Uma espécie de tribuna inquisitória para julgar a Jesus. A intriga e o enredo se evidenciam num complô, de caso pensado, contra o Nazareno. A ação transformadora, percebida nas palavras de Jesus, bem como o desenlace da trama, dão a perceber o clímax da narração: o anúncio do maior mandamento, o do amor. O ponto sublime do relato, enunciado pelo verbo intransitivo “amarás”, que se encontra repetido, dá a compreender o indispensável para o seguimento de Jesus, isto é, a vivência do amor, em primeiro lugar a Deus e, em segundo lugar ao próximo.
O relato elaborado por Mateus pode também ser encontrado em Mc 12,28-34 e em Lc 10,25-28. O texto de Marcos,[1] “que oferece maiores garantias de autenticidade”,[2] apresenta esta querela com Jesus de forma simplificada. Trata-se de uma discussão amistosa entre um escriba e Jesus. Marcos diz: “um dos escribas que ouvira a discussão...” Mateus, por sua vez, afirma: “Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então, eles se reuniram em grupo”. O contexto é de intriga. Jesus já havia desafiado os saduceus, bem como os sacerdotes (nos relatos dos domingos anteriores), por isso Mateus localiza bem esta narrativa, inserida totalmente num contexto de controvérsia, ou seja, de oposição aos poderosos do povo. De acordo com Mateus, depois de um entrevero de Jesus com os saduceus, são os fariseus que mandam um perito em lei para desafiá-lo.
No desafio, iniciado pelo perito fariseu, a questão é crucial. Tratava-se do mais profundo tema da pauta do judaísmo: qual o primeiro mandamento. Esta questão, segundo Barbaglio, é muito remota e está ligada “à própria natureza da aliança entre Deus e o seu povo”.[3]
Obviamente, a palavra mandamento, em sentido teológico, é fruto da relação estabelecida entre o Criador e os seres criados. Deus estabelece normas, estatutos, leis. Mas tudo isso, evidentemente, parte da experiência da relação que o homem estabelece com Deus. Deus está propício à relação. O homem, após esta experiência, vê-se chamado a viver a vontade de Deus. Da vontade fundamental de Deus, que emana de sua própria essência, dito que Deus é amor (1 Jo 4,16), decorrem todas as demais vontades. Deus deseja a vida, pois Ele é o Criador, portanto, o imperativo “não matarás”, entregue a Moisés no monte santo (Dt 5,7; Ex 20,3), não denota apenas uma proibição, mas, em sentido positivo, significa ‘cuida da vida’, comportando o desejo pleno de Deus, que é a vida em plena forma e sentido. Do Amor, a essência de todas as leis, declinam todos os demais mandamentos, a fortiori, a própria autocomunicação do amor de Deus.
Para Jesus, o primeiro mandamento é aquele que assume a centralidade da vida do ser humano. Este mandamento é o amor a Deus. Evidentemente, tal mandamento está relacionado à lei do Êxodo (20,3) e do Deuteronômio (5,7), que diz: “não terás outro Deus diante de mim”. A exclusividade e a precedência de Deus na vida do humano não estão relacionadas apenas ao plano da adoração e do culto, mas do amor, da relação de intimidade, pois nós criaturas fomos criados à imagem e semelhança do Criador. Deus cria o homem para relacionar-se com ele, dando a perceber sua puríssima gratuidade. Por causa deste elemento criatural, somos atraídos por Deus. Na literatura do Pentateuco, esta relação amorosa é expressa, posteriormente em 6,5. Segundo o deuteronomista, a indicação imperativa, “amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”, equivale à síntese dos mandamentos e das leis. O Pentateuco apresenta ao longo de sua narrativa 613 leis, que podem ser resumidas na lei do amor ao Criador. Pois amar a Deus sobre todas as coisas é amar sua vontade, por em prática seus pedidos.
No entanto, o amor a Deus, segundo Jesus e a comunidade do evangelista Mateus, está embutido ao amor ao próximo (Mt 22,39). Para eles, o amor ao nosso irmão se assemelha (no grego de Mateus encontramos a palavra omoía) ao amor Deus, mas não está no mesmo pé de igualdade, pois o amor a Deus, o Criador, é o amor absoluto. Absoluto significa “todo solto”, por isso, é capaz de gerar, isto é, gerar outras formas de amor, ao próximo, ao mundo, à natureza, a todos os seres vivos. Do amor a Deus, da relação de intimidade com a Origem de todas as coisas, sem causa precedente, dá-se início o amor ao próximo, àquele que convive conosco, que habita o mesmo espaço-mundo.
Desse modo, no coroamento da narrativa mateana (22,39), Jesus afirma que toda a Lei e os Profetas, para chegarem à plenitude, dependem intrinsecamente da vivência do amor a Deus e do amor ao próximo. Com toda clareza, Jesus afirma que para o ser humano viver as singelas realidades da vida, aquelas que são relativas ao absoluto, é preciso viver o substancial, aquilo que é precioso, e está acima de todas as coisas, o Amor. Nas palavras do teólogo suíço Hans Urs von Balthasar[4], “só o é digno de fé [...] e o amor cristão não é a palavra – nem sequer a última palavra – do mundo sobre si mesmo, mas a palavra definitiva de Deus sobre si próprio e, portanto, também sobre o mundo”. Portanto, amar é a única condição para cumprir a vontade de Deus, seja na intimidade dEle, seja na relação fraterna com nosso semelhante. Deste modo só no encontro com Outro e com aquele outro, é que o homem chega a si mesmo, à sua essência, o Amor.
Por fim, viver o amor é condição indispensável para levar a cabo as leis de Deus e dos homens. Se nos amamos, se amamos ao Criador, se amamos a Criação, certamente cumprimos a nossa missão, que é a expressão de nossa própria essência, pois somos filhos do Amor Absoluto, irmãos-amantes uns dos outros e cuidadores do Universo, nossa casa comum, a tenda na qual Aquele mesmo Amor se acampou.
[1][1] Para um estudo recente de Marcos, cf AMARAL, J. V. O Evangelho de Marcos: teologia para atualidade. Interações: cultura e comunidade. v. 6. n. 9 (2011), p. 75-91. Cf. < http://200.233.146.122:81/revistadigital/index.php/revistainteracoes/index >
[2] Cf. BARBAGLIO, G. Os Evangelho (1). 2. ed. São Paulo: Loyola, 2002, p. 332. Giuseppe Barbaglio se ampara nas pesquisas de G. Barth (cf. Das Gesetzesverständnis des evangelisten Matthäus. In. BORNKAMM, G.; BARTH, H.; HELD, J. Überlieferung und Auslegung im Matthäus-Evangelium, Neukirchen, Neukirchener Verlag, 1961, pp. 71-73.
[3] BARBAGLIO, p. 332.
[4] BALTHASAR, H. U. v. Só o amor é digno de fé. Lisboa: Assírio & Alvim, 2008.
EditadoNão gosto1Mais26 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
TEMPORADA II...
https://m.facebook.com/groups/549654878389022?view=permalink&id=627949143892928&ref=bookmark&__user=100003026611767
https://www.facebook.com/prof.fabiosabino?fref=ts [Professor Sabio Fabino] numa crítica ao Ro'sh Marcos Andrade Abrão e outros asessores, sobre Génesis 1:1 e João 1:1:
RASHI: The word Bereishis is crying out for a Midrashic interpretation: Bereishis means “two beginnings”, suggesting that God created the world for the sake of the Torah which is called, “the beginning of His way” (Prov. 8:22), and for the sake of the Jewish people who are called, “the first of His grain” (Jer. 2:3).

MASKIL LEDAVID: Since the verse employs the singular (“in the beginning”) from where did Rashi conclude that there are two beginnings, the Torah and the Jewish people? However, Rashi is referring to the Jewish people as they are learning and observing the Torah, i.e. as they form two parts of one greater whole.

Em resumo, Rashi não se refere a consoante Beit como sendo DUAS CRIAÇÕES de um universo ou Elohim ou qualquer coisa do género e sim a forma como os judeus aprendiam [e observavam] a Torah formando as duas partes de um todo maior.
Bibliografia. Chumash, the Gutnick edition, Compiled and Adapted by Rabbi Chaim Miller. pág 23!
Os parêntesis rectos são meus: https://m.facebook.com/magalhaes.luis.9?v=feed&__user=100003026611767: O Professor Fabio Sabino não traduziu integralmente, o que é um erro grave.
A tradução correcta é: "e sim a forma como os judeus aprendiam e observavam a Torah formando duas partes de um todo maior." Não é só aprendiam.... Observar é fundamental. Outra coisa. Gramaticalmente está correcta esta leitura: "Era o verbo um deus". - Tenho comigo um trabalho científico de um erudito não judeu a afirmar que gramaticalmente está correcta, vide a página 23 do PDF.
Era o verbo um deus? – análise de João 1:1 a partir da teoria da relevância, por Marcos Souza - PDF aqui:
http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/281/295
E leia aqui, sobre São Paulo e o Adam-Massiach-Cristo-Kyrios. Um Adam prototípo que deu origem ao Adam do mito hebraico. Vide páginas: 44 e segs.
http://www.slideshare.net/sexyblondy/mentiras-fundamentales-de-la-iglesia-catlica

Origem das Coisas e Vidas:
http://www.aish.com/ci/sam/48951136.html
Age of the Universe
aish.com

1 - João 1:1 tem relações com o hinduísmo:
http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=john+1%3A1+comes+from+brahma&source=web&cd=1&ved=0CCoQFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.bsu.edu%2Flibraries%2Fvirtualpress%2Fwolfe%2Fword%2FParallelTeachings.pdf&ei=P66PUrLJIOWO7Qbt5ICgBQ&usg=AFQjCNFeAFpBKO7RrLrI9UHRrSZvmZlSbg&sig2=mTPVTilgw9i0sqkitPKcIg&bvm=bv.56988011%2Cd.ZGU

2 - Génesis 1:1 vide:
http://adragononfire.blogspot.pt/2013/11/blog-post_7958.html

https://m.facebook.com/groups/549654878389022?view=permalink&id=627949143892928&ref=bookmark&__user=100003026611767
http://reluctant-messenger.com/citsym/one-true-religion02.htm
Fabio Sabino

Sobre a mulher: http://nsi-pt.blogspot.pt/2013/08/papa-francisco-e-teologia-da-mulher.html | http://nsi-pt.blogspot.pt/2013/02/blogue-nsi-fevereiro-2013.html
Sobre a homossexualidade na Bíblia e na ciência… Eis um link meu: http://pastoralreformadadadiversidade.blogspot.pt/search/label/Tese%20sobre%20Homossexualismo
E: http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/homossexualidade-pode-ser-influenciada-pela-epigenetica
E: www.google.pt/search?q=epigenética&oq=epigen&client=tablet-unknown&sourceid=chrome-mobile&espv=1&ie=UTF-8#espv=1&q=epigenética+e+a+homossexualidade
Nós Somos Igreja: Papa Francisco e a teologia da mulher: algumas inquietações.
nsi-pt.blogspot.com

1 - http://rumosnovos-ghc.blogs.sapo.pt/tag/bíblia+e+homossexualidade

Perdemos o que essas passagens dizem a respeito de Deus, quando gastamos tanto tempo a debater o que elas dizem sobre sexo.

2 - http://rumosnovos-ghc.blogs.sapo.pt/32928.html
RUMOS NOVOS - Homossexuais Católicos
rumosnovos-ghc.blogs.sapo.pt

E Abraham Isaac e Jacob nunca existiram: http://middleeastatemporal.wordpress.com/2012/04/16/the-bible-unearthed-the-documentary-2/
The Bible Unearthed (The Documentary)
middleeastatemporal.wordpress.com

Ou seriam três tribos de qual a tribo Abraham destacou-se sobre as demais e ficou como sendo o Pai/Patriarca e as demais tribos ficaram como Filhos. Ironias da História, E as distintas montanhas de adoração - Sinai e Horeb significam que adoravam nas montanhas, montes....

http://www.theoi.com/Protogenos/Ourea.html
OUREA - Greek protogenos gods of mountains ; mythology
theoi.com

http://eduep.uepb.edu.br/rbct/sumarios/pdf/montanhas.pdf [pp. 3 e ss.]

http://www.truthbeknown.com/biblemyth.htm
Deconstructing the walls of Jericho
truthbeknown.com
EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
@JTAnews
Iran, major powers achieve interim deal on nuclear program http://j.mp/1dsGDZP
EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

EditadoNão gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Magalhães Luís
324.cat
@324cat
Com era l'absis original de Sant Climent de Taüll? http://t.co/zGZ5AYIAQX ‪#‎ValldeBoí‬ http://t.co/cHekNepWCH

23 Nov 13 - @324cat on Twitter
Não gosto1Mais24 de Novembro de 2013

Labels

Blogroll

Search

Popular posts

Protestante por consciência calvinista e zuingliana, um teísta remanescente (cristão integrado na Oholyáo de YÁOHU UL/Ele-Ela) antinominiano esteta ecuménico e inclusivo

Blogger templates

Blognovela - Simplismente Layla

Capítulo 1: De volta ao passado oco Capítulo 2: Varão em perigo Capítulo 3: Desodorante Roll-on Capítulo 4: Travesti de Satanás Capítulo 5: Tragédia em Cristo Capítulo 6: Evangelizando na Cadeia Capítulo 7: Direto para o Inferno Capítulo 8: Inimigo Misterioso Capítulo 9: Ataque Satânico
Capítulo 10: A Noite da Concepção (revelação da paternidade de Layla Camila) Capítulo 11: O tempo não pode apagar
Capítulo 12 - Final: The End (o fim em inglês)


Fluir.tv
edsom on livestream.com. 


A minha Lista dos meus blogues

Número total de visualizações de página

Blogger templates

Inspiration Report
If your brothers in Christ were to describe you in one word, what would it be?
In many old letters, I noticed several friends wrote down that when they think of me, they get the word: “happy”. Warmed my soul.
It reminded me of a statement that an old roommate made about me last year: “I can’t ever imagine you depressed.” It floored me, because I wasn’t always like this. I spent a lot of my youth just generally bummed out about life. And then in my 20s, I was always lamenting whatever I didn’t have.
However, something about my 30s has filled me optimism. I wish I could tell you what it is, but I simply determined to enjoy my life. I want to be happy. I seek out happy things, and miraculously happiness seems to find me.
Pastor and author Joel Osteen is famous for speaking up for happiness and the importance to practice it every day. You can’t wait for circumstances to get better. You have to create your own good fortune. So look for ways to be happy every day.
“Seek and ye shall find.” Read the follow-up blog: What Makes You Happy?
More Wisdom from The Osteens:Joel Osteen on the Creative Power of Words Become a Better You Victoria Osteen Says ‘Love Your Life’
Read more:

This Week on Hour of Power - Easter 2011 from Crystal Cathedral Ministries on Vimeo.

Hour of Power Ep. 2151 - Full Hour from Crystal Cathedral Ministries on Vimeo.